O município de Ilópolis deve entregar ao Ministério Público nos próximos dias um projeto com levantamento de obras emergenciais a serem feitas no casarão da Família Canei. As obras devem ser realizadas a fim de evitar que o imóvel venha a ruir. A ação civil pública foi registrada em outubro, tendo o município então um prazo de dois meses para elaborar o projeto.

O casarão localizado entre as ruas Conselheiro José Bozzetto e Leopolodo Spezia tem duas ações na Justiça, sendo uma cautelar de embargos de demolição e que aguarda sentença e a que foi proposta em outubro pelo Ministério Público ao município de Ilópolis.

Segundo o prefeito Edmar Rovadoschi, entre os reparos a serem realizados está o fechamento de janelas, melhorar os tapumes e cortar a energia elétrica, para evitar um possível um curto-circuito. Sem a execução desses detalhes o município terá de arcar com uma multa de R$ 15 mil. “O projeto foi elaborado pelos engenheiros Tomás Faccio e Leonardo Gasparin que estiveram há poucos dias no local. A principal orientação do Ministério Público foi que se fizesse um projeto para proteger o local e evitar que ele caia”, ressalta.

Rovadoschi destaca que há cerca de dois anos o município tentou negociar com o proprietário da casa, quando o juiz deu uma abertura que retirou o processo solicitando uma negociação. “Na ocasião foram avaliados o terreno dele e os do município. Até se buscou fazer uma posse de permuta, mas ele não concordou. Ele queria desmanchar o casarão e pediu que eu autorizasse isso, mas não é bem assim. Tanto o promotor quanto a A.A.Moinhos defendem a preservação”, explica.

Neste primeiro momento o município precisa executar esses reparos para evitar que o casarão estrague mais ainda e aguardar pela decisão judicial.