Cidade da Melhor Erva-mate do Brasil

Antes da chegada dos imigrantes italianos onde hoje é Ilópolis, já existiam moradores assentados em áreas de terra conhecida como ”Posse”. Existiam três grandes famílias que concentravam em suas mãos a maior parte das terras do atual Município de Ilópolis: a Posse Gomes, de propriedade de Pedro Venâncio Gomes, a Posse Melo de Manuel Joaquim de Melo e a Posse Maia de Thomaz de Almeida Maia.

Leopoldo Spezia, nascido na Itália, em 14 de setembro de 1879, foi o primeiro imigrante italiano a chegar a Ilópolis, quando ainda era conhecido como Serra da Figueira. Casado com a Sra. Izabel Dorigoni, viveu em Ilópolis até 1937, ano de seu falecimento. Dona Izabel foi quem plantou o Eucalipto na Praça Itália. Após Leopoldo Spezia, foram chegando mais imigrantes italianos, fortalecendo os laços e as raízes da cultura italiana no solo gaúcho e brasileiro, representantes das famílias Bozzetto, Tomasini e Lunardelli.

A cultura e a tradição italiana foram aos poucos sendo afirmadas nos processos e nas relações humanas e sociais, permanecendo forte e presente até a atualidade, podendo ser encontrada em elementos da arquitetura, da culinária, da moda, da linguagem, dos hábitos e valores culturais dos moradores de Ilópolis/RS.

Alguns atrativos turísticos resgatam a cultura do povo italiano e gaúcho, tais como o Museu do Pão, o Processo Histórico da Erva-Mate, a arquitetura Típica Italiana, a gastronomia, os jogos, os serões e filós, entre outros elementos materiais e imateriais da cultura e da tradição Italiana. Atrativos Turísticos Naturais também são um privilégio de Ilópolis.

Ilópolis significa Cidade da Erva-Mate, etimologicamente originada do latim e do grego
(Ilo, do latim significa Erva-Mate, e Pólis do grego significa Cidade).

A Emancipação

O movimento emancipacionista de Ilópolis, Distrito do Município de Encantado/RS, surgiu em 1958. Em 1962, foi constituída uma Comissão Pró-Emancipação com a finalidade de promover a emancipação de Ilópolis. A Comissão foi composta pelos seguintes Srs.:

– Presidente: Hermínio Guilherme Bozzetto;
– 1º Vice-presidente: Orlando Antônio Lucca;
– 2º Vice presidente : José Predebom;
– 1º Secretário: Danilo Tomasini;
– 2º Secretário: Décio João Bozzetto;
– 1º Tesoureiro: Ermes Tomasini;
– 2º Tesoureiro: Lindo Predebom.

Esta Comissão contou também com o apoio do então Deputado Estadual Lidovino Fanton, que contribuiu de todas as maneiras possíveis para que se alcançassem os objetivos almejados.

Em 1963 foi sancionada a Lei nº 4.612 de 21 de novembro, autorizando a consulta plebiscitária no distrito de Ilópolis no dia 08 de dezembro de 1963. Diante do resultado favorável à emancipação de Ilópolis o Governo do Estado do rio Grande do Sul criou o Município de Ilópolis, sob a Lei nº 4.687 de 26 de dezembro de 1963.

Comunidades

Cinco Voltas, Monte Bérico, São Francisco, São Brás, Santo Antônio, Linha Tunas, Linha Pecca, Linha São João, Linha Gramadinho, Linha São Valentin, Linha São José, Linha Borges de Medeiros, Linha Santo Antão, Linha Jacó Panis, Linha Usina, Linha Maria Quitéria, Linha São Roque e Linha Terceira.

A Erva-Mate

A erva-mate, cientificamente denominada Ilex Paraguariensis é classificada como uma árvore de pequeno porte, podendo atingir cerca de 12m de altura. Quando cultivada de forma mais racional e submetida a podas periódicas, tende a medir entre 2,5 a 6m de altura.

Sabe-se, que desde os primórdios de sua colonização a descendência italiana, a erva-mate já era extrativada de forma bastante rústica pelos primeiros habitantes da área. As folhas eram extraídas das árvores nativas e condicionadas de forma bastante artesanal que culminava na moagem das folhas com utilização de pilões ou manjolos.

Obs.: Recomenda-se visitar o processo histórico da erva-mate localizado no parque do Ibama.