Sistema apresentado à comunidade foi projetado pela empresa TSA Tecnologia em Saneamento de Porto Alegre

 

Com o intuito de resolver o problema histórico dos alagamentos na área central do município de Ilópolis, a Administração Municipal realizou na tarde de quarta-feira, 6, uma audiência pública. O ato ocorreu no Plenário Frederico Denardi, junto à Câmara de Vereadores e contou com a presença da comunidade.

Na ocasião o engenheiro Tomás Faccio apresentou o projeto do sistema e macrodrenagem urbana do município aos presentes. O sistema em questão foi projetado pela empresa TSA Tecnologia em Saneamento de Porto Alegre. “A empresa fez contato com o município e realizou todo um estudo para elaborar esse sistema de drenagem. É um sistema complexo que envolve vários estudos”. Segundo ele, a empresa em questão fez um diagnóstico do que é necessário e o que pode ser reutilizado, além do estudo de toda a chuva que caiu, para se chegar a uma máxima e dimensionar o sistema.

A secretária de Planejamento, Marina Bonfanti, afirma que a ideia do projeto é que ele consiga coletar toda essa água pluvial do município. “Ele vai partir da parte de cima da Rua 12 de Outubro, descer pela Rua Padre José da Silva Koling, desaguar na praça embaixo do Sicredi, percorrer o percurso do rio aberto e finalizar na Rua Conselheiro José Bozetto dom duas galerias grandes para dar toda a vazão da água necessária para o município não ter mais alagamento”.

Acrescenta ainda que em pontos como a Rua Expedicionários na esquina com a Rua 12 de Outubro, onde se tem um problema de alagamento, que com essa melhoria, a galeria vai ajudar e fazer com que diminua os alagamentos neste local. “Explanamos o projeto, pois o pedido de financiamento foi aprovado pela Câmara. O grande problema de Ilópolis é que, quando havia a abertura de novos loteamentos, se vendia os lotes, mas não se cobrava saneamento urbano, drenagem urbana, nem calçada ou calçamento. Então hoje o nosso município passa por todo esse problema por esse motivo. Infelizmente hoje temos muitas ruas sem canalização. O projeto prevê alguns pontos de melhoria, mas claro que não vai resolver todo o problema do município, pois seria um gasto absurdo”, salienta.

Após as explanações do engenheiro sobre o projeto, moradores afetados pela situação e até mesmo demais interessados tiveram a oportunidade de se manifestar para sanar dúvidas, até mesmo para entender se a obra irá os beneficiar ou não.

O prefeito Edmar Pedro Rovadoschi afirma que não há como resolver tudo, pois também há problemas em outros pontos do município e que necessitam ser resolvidos. “Todos os anos investimos o que é possível neste sentido trocando a tubulação em várias ruas. Acredito que no futuro de Ilópolis, os próximos loteamentos deverão ter uma contenção de água, pois o problema maior é quando vem aquela chuva torrencial que em 15 minutos alaga a cidade. Como falou o engenheiro, acredito que essa água vai desafogar mais, até para não se gastar dinheiro para nada. Então se faz um primeiro investimento e se não funcionar se faz um segundo para resolver os problemas dessa região. Não dá para ficar gastando dinheiro com nada, pois dinheiro público precisa ser muito bem gasto”.

Marina avaliou a audiência como positiva, porém lamentou a falta de participação da comunidade. “A gente espera que a população entenda o porque da escolha deste projeto e os motivos pelos quais vai funcionar dessa forma. A Secretaria buscou fazê-lo da melhor forma possível”.